sábado, 18 de novembro de 2017
Início Secretaria Extraordinária de Relações Institucionais e Política Energética

Secretaria Extraordinária de Relações Institucionais e Política Energética

esio
Francisco Ésio de Souza Júnior

 É formado em Economia pela Universidade de Fortaleza – Unifor, curso concluído em 1991. Possui cursos de Especialização em Finanças pela Bovespa (SP); Programa Trainee do Instituto Brahma, hoje Universidade AMBEV; Auditoria e Gerenciamento de Saúde pelo Centro Universitário Christus (Unichistus) – Previsão de Conclusão: Julho/2014. Entre suas experiências profissionais estão: Sócio Fundador e Diretor Financeiro da empresa Granja Santa Isabel Ltda; Sócio Fundador e Diretor Financeiro da Skol Distribuidora Ltda; Sócio Fundador e Diretor Financeiro do Escritório Técnico de Planejamento do ramo de elaboração de planos de trabalhos e projetos para o setor público. Atualmente, exerce a função de Sócio e Diretor Financeiro do Hospital Distrital Dr. Fernandes Távora – Instituto Práxis. Foi Secretário de Recursos Humanos e Patrimoniais durante a primeira gestão do prefeito Firmo Camurça, entre 2013 e 2016.

Competências

Compete a Secretaria Extraordinária de Relações Institucionais e Política Energética:

I – auxiliar o Chefe do Poder Executivo no relacionamento do Governo Municipal com a Câmara Municipal e os partidos políticos;

II – orientar a política do Executivo Municipal em suas relações com a União e outros Estados da Federação, bem como os municípios;

III – estabelecer e manter um canal de comunicação eficiente entre organizações governamentais e não-governamentais entre o Estado e representantes da sociedade civil;

IV – elaborar propostas de diretrizes gerais, políticas energéticas municipais, regionais e setoriais;

V – elaborar propostas institucionais, regulamentadoras que visem:

a) facilitar o entrosamento com as políticas energéticas estadual e federal;

b) incentivar políticas regionais no município para a eficiência de processos energéticos.

VI – inserir o Município de Maracanaú nos contextos integrativos das Políticas Estadual e Nacional de Energia;

VI – incentivar a expansão e integração municipal de energias;

VII – outras atribuições correlatas ao cumprimento de suas finalidades.