Mulheres Centenárias de Maracanaú são homenageadas em solenidade emocionante no Centro de Convivência do Idoso

You are currently viewing Mulheres Centenárias de Maracanaú são homenageadas em solenidade emocionante no Centro de Convivência do Idoso
Foto: Brunna Cardoso

Emoção é a palavra que melhor define a Homenagem às Mulheres Centenárias de Maracanaú. A solenidade, que ocorreu hoje, 11 de março, pela manhã, no Centro de Convivência do Idoso – CCI , rememorou a história de oito mulheres que, ao longo de mais 100 anos tornaram-se um exemplo de vida, através da dedicação profissional, às suas famílias e sobretudo pelo exemplo de cidadania e o amor ao Maracanaú. A exibição das imagens e leitura do histórico que retratavam cada uma das homenageadas levaram às lágrimas familiares, amigos e o grande público do evento. A solenidade contou com a presença do prefeito Firmo Camurça, da primeira-dama Kamile Camurça, da secretária de Assistência Social e Cidadania, Glauciane Oliveira, vereadores e demais lideranças locais.

As homenageadas – As mulheres centenárias homenageadas pela Prefeitura de Maracanaú foram: Maria Dilla Lemos; Angelita Ferreira Alves; Joana de Freitas Silva; Adalina Almeida Serpa; Maria das Dores; Ana Maria da Conceição; Alaíde Borges dos Santos e Alzira Pereira dos Santos. A Homenagem às Mulheres Centenárias foi um evento que integrou a Semana da Mulher em Maracanaú. Cada “centenária” recebeu um certificado e ramalhete de rosas.

Conheça a história de vida de cada uma das Mulheres Centenárias de Maracanaú:

Maria Dilla Lemos – Nasceu no dia 30 de julho de 1912, em Quixadá, mas reside no bairro Timbó, em Maracanaú, há 15 anos. Sempre trabalhou como agricultora e fazia queijos para sustentar a família. Em seus 104 anos de vida, já viu muita coisa acontecer. Acompanhou os primeiros passos de todos os nove filhos, embalou, alimentou e viu mais tarde um a um sair de casa para viver sua própria vida. Mas o amor permaneceu e se multiplicou. Resultou em 100 netos, entre bisnetos e tataranetos e hoje todos eles têm em si um pouco da Dona Dilla, que faz dos seus 104 anos motivo de orgulho para toda a família.

Angelita Ferreira Alves – Reside na Pajuçara. Nasceu e sempre viveu em Maracanaú. Teve 3 filhos, 10 netos e 4 bisnetos. Dona de casa, sempre lavou roupa para sustentar a família. Antigamente lavava roupas na lagoa da pajuçara, bairro onde construiu sua história de vida. Aos 102 anos não abre mão do bom humor e da alegria e ainda se aventura a ser levada para passear de moto pelas ruas de seu bairro. A Dona Angelita é o verdadeiro exemplo de que felicidade não tem idade.

Joana de Freitas Silva – Nasceu em 1914, é natural de Canindé e mora em Maracanaú há cerca de 2 anos, residindo no Jardim Jatobá. Foi casada duas vezes, teve 3 filhos, 10 netos, 5 bisnetos e 3 tataranetos. Sempre trabalhou em casa de família para sustentar os filhos, mas, apesar das dificuldades, nunca perdeu o seu bom humor. Aos 101 anos ainda brinca, dizendo que vai arranjar um namorado e casar. Com a sua força, história de vida e alegria, é provável que não faltem pretendentes.

Adalina Almeida Serpa – É natural de Pacatuba e mora em Maracanaú há muitos anos, no Parque São João. Teve 3 filhos, 8 netos e 2 bisnetos. Além de dona de casa, Dona Adalina deu duro trabalhando como agricultora para sustentar a família, mas nunca lhe faltou coragem e força de vontade. Quem a conhece de perto sabe que o tempo só fez acentuar a sua serenidade e doçura. E no próximo dia 20 de março teremos um motivo a mais para comemorar, pois ela estará completando103 anos de idade.

Maria das Dores – Nasceu e sempre morou em Maracanaú, residindo no bairro Mucunã. Teve 3 filhos, 20 netos, 8 bisnetos e 2 tataranetos. Sempre foi dona de casa e trabalhadora rural, cuidando da família e garantindo o sustento de todos. Todos muito se orgulham de toda a sua trajetória de força e perseverança, pois foi a Dona Maria que proporcionou a cada um deles os melhores ensinamentos. No próximo mês de maio dona Maria das Dores irá completar 100 anos de vida. Parabéns, Dona Maria!

Ana Maria da Conceição – É natural de Juazeiro do Norte, mas reside no bairro Colônia Antônio Justa em Maracanaú, há 27 anos. Tem 12 filhos, 87 netos, 30 bisnetos e 16 tataranetos. Sempre trabalhou com agricultura e por meio dela garantiu o sustento da família. Nasceu no dia 19 de janeiro de 1915 e viu muita coisa acontecer em seus 101 anos de vida, mas mesmo diante das maiores dificuldades lutou para garantir o melhor para os seus. A Dona Ana Maria é o orgulho da família.

Alaíde Borges dos Santos – É natural de Aratuba, mas já reside em Maracanaú há 30 anos, na Colônia Antônio Justa. Tem 7 filhos, 27 netos, 53 bisnetos e 8 tataranetos. Sempre foi agricultora e quando chegou em Maracanaú, trabalhou como empregada doméstica, sempre para garantir o melhor para sua família. A força e a determinação sempre estiveram presentes em sua história de vida. Com 106 anos de vida a dona Alaíde é o orgulho dessa grande família, dos parentes e amigos.

Alzira Pereira dos Santos – Nasceu em Jubaia, Maranguape, no ano de 1910. Ainda criança, já ajudava seus pais trabalhando na agricultura. Casou-se aos 18 anos e teve 14 filhos, mas seu coração era tão grande que, mesmo diante de todas as dificuldades, adotou mais uma criança. Dificuldades financeiras a levaram a se mudar para o Maranhão, mas em 1958 veio para Maracanaú, no bairro de Jaçanaú. Parteira e rezadeira, trouxe muitos maracanauenses ao mundo e ajudou a curar muita gente. Hoje, aos 106 anos, ao receber visitas ainda tenta se levantar para rezar. A Dona Alzira é o orgulho de toda a sua família, afilhados e pessoas que ela trouxe ao mundo. (Oswaldo Scaliotti / Gean Amorim)