NUCA participa de audiência pública sobre identidade negra, indígena e os 10 anos do Festival Afroarte

You are currently viewing NUCA participa de audiência pública sobre identidade negra, indígena e os 10 anos do Festival Afroarte

O Núcleo de Cidadania dos Adolescentes – NUCA participou, no dia 10 de dezembro, da Audiência Pública sobre identidade negra, indígena e os 10 anos do Festival Afroarte, na Câmara Municipal de Maracanaú.

Estiveram presentes o vereador Chico Barbeiro, autor do requerimento, o mobilizador de Adolescentes e Jovens do Selo Unicef, professor José Mauro Braz de Aquino, a secretária de Assistência Social e Cidadania e articuladora da Comissão do Selo Unicef, Glauciane Viana, o secretário de Educação, Marcelo Farias, a coordenadora do 6º ao 9º ano da Secretaria de Educação, Ilza Granjeiro, a coordenadora da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial – CEPPIR- CE, Zelma Madeira, a assessora pedagógica da Coordenadoria Especial de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Fortaleza, Patrícia Matos, a professora de História da Escola José Mário Barbosa, Adriana Oliveira, a assistente técnica da CEPPIR e a Coordenadora da Federação dos Povos e Organizações Indígenas do Ceará, Ceiça Pitaguary.

Os objetivos da audiência pública foram promover um debate sobre ações de valorização da identidade negra e indígena no município, discutir como estão sendo implementadas a Lei 10.639, de 2003 e a Lei 11.645, de 2008, que tornaram obrigatório o ensino da história e da cultura afro-brasileira, africana e indígena em todas as escolas, públicas e particulares, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio, propondo maior acompanhamento em relação à sua implementação. Em Maracanaú, há 10 anos acontece o Festival Afroarte, que propõe práticas formativas para uma educação antirracista. O evento foi idealizado para incentivar professores e a comunidade escolar na identificação e apresentação de iniciativas pedagógicas que estimulem crianças, adolescentes e adultos a reconhecerem, valorizarem e aprenderem a história da África, o protagonismo de negros e negras para preservar as expressões culturais afro-brasileiras no ambiente escolar no município de Maracanaú. (Bruna Marques)