Secretaria de Educação realiza VI Encontro de Informática Educativa de Maracanaú

You are currently viewing Secretaria de Educação realiza VI Encontro de Informática Educativa de Maracanaú

O VI Encontro de Informática Educativa de Maracanaú aconteceu, no dia 13 de dezembro, no Núcleo de Tecnologia Educacional de Maracanaú – NUTEM. A iniciativa é voltada para professores de Laboratório de Informática Educativa de Maracanaú – LIEM, professores regentes, técnicos da Secretaria Municipal de Educação – SME e gestores das Escolas Municipais. O encontro teve por objetivo promover a troca de informações e conhecimentos gerados nas escolas que possuem o LIEM, assim possibilitando a troca de experiências mediante apresentação de relatos de atividades exitosas e divulgar as práticas pedagógicas desenvolvidas nos laboratórios.

Tácia Ximenes, coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional de Maracanaú – NUTEM, conta que o NUTEM foi inaugurado em 2008 para formações e acompanhamento dos professores no uso pedagógico dos recursos digitais na educação.

Os educadores presenciaram a demonstração de atividades do projeto “Bora Programar?” com os alunos da EMEIEF Elias Silva Oliveira, conduzido pela professora Larissa Santiago, no qual os alunos puderam explicar sobre o uso da linguagem de programação na elaboração de jogos infantis. O projeto Música e Tecnologia na Escola da EMEIEF Prof.ª Francisca Florência da Silva, idealizado pela professora Tereza Cristina. O projeto-piloto Interculturalidade Digital de idealização do Professor Francisco Ediberto, teve como objetivo de implementar o uso dos laptops, como ferramenta pedagógica no laboratório de informática da Escola Indígena do Povo Pitaguari.

Ricardo Normando, professor e empreendedor em tecnologias no ensino EAD, Rogério Evangelista, professor de informática educativa da EMEIEF Evandro Ayres de Moura, Antônio Flávio Almeida, professor de informática educativa da EMEIEF Deputado José Martins Rodrigues, Vládia Lendengue, presidente da Comissão Especial de Mediação, Conciliação e Arbitragem da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/CE, Ângela Maria, assistente social do CAPS I debateram sobre o tema “Cidadania Digital: Limites e Possibilidades na Era Tecnológica”, no qual foram abordados assuntos sobre o uso da internet, como leis, cyberbullying, conscientização e experiências vividas em sala.

A exposição de banners foram compostas pelos trabalhos dos professores Neto Santos, da EMEF Madre Tereza de Calcutá, intitulado: Construindo Valores para um Mundo Melhor com o auxílio da Tecnologia; Rosângela Severiano, da EMEIEF Prof. Paulo Freire, com o trabalho: Portadores de textos no contexto da cidadania – As novas tecnologias no auxílio de aquisição da leitura e escrita; Suyene de Sousa, da EMEIEF Pref. Almir Freitas Dutra, relatando a experiência exitosa: Rádio Escolar – Possibilidades e desafios no cotidiano sociocultural escolar; Júlia Silveira e Rejane Monte, da EMEIEF Sinfrônio Peixoto de Morais, apresentando o projeto: Trilhando o caminho da justiça; Glauce Sant’Clair, da EMEIEF José Dantas Sobrinho, com o trabalho: Olhos de Curiosos – despertando a curiosidade científica através das mídias sociais e de aplicativos, e Glieiston Aires, da EMEIEF Antônio de Albuquerque Sousa Filho, com a Brinquedoteca Reciclável – Uma maneira de envolver os alunos e tornar o intervalo escolar mais consciente e educativo.

A professora Larissa Santiago, da EMEIEF Elias Silva Oliveira, fez um relato da experiência que teve com o projeto “Bora Programar?”. O professor Ivan de Oliveira, da EMEF Pensando e Construindo, contou sobre o projeto “Práticas com Geogebra no Ensino fundamental”. A professora Mônica Bianka, da EMEF José de Borba Vasconcelos, dialogou sobre a “Utilização dos recursos da tecnologia de informação de modo a contribuir com o letramento digital do aluno e incentivar a escrita de gêneros textuais diversos no contexto digital”. O professor Deison Silva falou sobre o Curso de Informática Básica para alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos – CEJAP e a professora Adélia Carvalho conversou sobre a rede social “In Loco”.

Rogério Evangelista, professor de laboratório de informática do LIEM, foi um dos convidados a mesa redonda, falou sobre o momento: “Falamos sobre as tecnologias no processo de ensino e aprendizagem, em como a internet pode agir positivamente e negativamente na vida das pessoas, porque como professor de informática nós temos o direito de orientar, sobre as leis, os perigos da rede, e essas formações para nós, são aprendizagem para os alunos também, ajudando na inclusão digital mas com segurança”.

Ricardo Emanuel, estudante da EMEIEF Elias Silva Oliveira, participante do projeto Bora Programar? falou sobre o jogo que ele criou: “O nome do meu jogo é Fabricador de Quadrado, que produz quadrados de várias cores e espessuras. Gosto desse programa da escola e é divertido produzir os jogos”. (Bruna Marques/Renata Talissa)